Google+ Followers

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Artigo bem interessante sobre a utilização dos blogs na Educação



Blogs na Educação: Blogando algumas possibilidades pedagógicas
 
Adriana Ferreira Boeira

afboeira@ucs.br

Tecnóloga em Processamento de Dados/UCS, Pedagoga Anos Iniciais do Ensino

Fundamental - Crianças, Jovens e Adultos/UERGS, Especialista em Informática na

Educação, Aluna Especial do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDUUCS),

Professora da Rede Particular de Ensino de Vacaria e Auxiliar do Laboratório de

Informática da UCS/Campus de Vacaria.
Resumo
 
Este artigo apresenta os resultados da pesquisa realizada no Curso de

Especialização em Informática na Educação da Universidade de Caxias do Sul, sobre a

utilização de blogs na educação. Sustentada pela pesquisa bibliográfica em diferentes

fontes define o que são blogs e apresenta como os blogs funcionam; apresenta a

utilização de blogs como recurso ou como estratégia pedagógica na educação. Além

disso, através de observações das aulas e análises da utilização do blog
http://informaticaeducativacsj.blogspot.com/, blog utilizado como planejamento,


registro e divulgação das aulas realizadas no laboratório de informática com alunos da

Educação Infantil e das séries iniciais do Ensino Fundamental numa escola particular de

Vacaria, no período de março a novembro de 2007, descreve a forma como é utilizado o

laboratório de informática com estes alunos nesta escola particular e de que forma

ocorre o planejamento das aulas realizadas no laboratório de informática. Neste sentido,

a pesquisa traz importantes contribuições sobre as utilizações de blogs na educação e

pretende servir como referencial teórico e estímulo para posteriores estudos e

investigações sobre a utilização dos blogs na educação.
Palavras-chave:
 
educação, informática, blog
Título: Blogs na Educação: Blogando algumas possibilidades pedagógicas



Introdução
 
A palavra blog vem da abreviação de weblog - web (tecido, teia, também usada

para designar o ambiente de internet) e log (diário de bordo, registro). É um diário online

que permite que os usuários registrem diversos conteúdos que ficam disponíveis em

ordem cronológica, com a vantagem de que possibilita um espaço para comentários dos

leitores.

Cresce a cada dia a utilização dos blogs nas mais diversas áreas, inclusive na

educação. Portanto, o tema se impõe pela atualidade, pois muito se tem discutido sobre

a importância e a validade das novas tecnologias de informação e comunicação (NTics),

especialmente as que envolvem acesso à internet. A escola, principalmente as que

possuem acesso à internet, não podem fazer de conta que os blogs não existem. Mas

mais do incluir a utilização dos blogs na educação, é necessário refletir sobre as suas

possibilidades pedagógicas.

Desta forma, este artigo apresenta os resultados da pesquisa realizada no Curso

de Especialização em Informática na Educação da Universidade de Caxias do Sul, sobre

a utilização de blogs na educação que buscou respostas ao problema: De que forma

podemos utilizar o potencial pedagógico dos blogs?

O artigo não pretende comparar as ferramentas disponíveis nos diversos sistemas

de blog, mas alerta para a importância de se conhecer os diferentes sistemas de blog e

comparar as ferramentas disponíveis antes de criar um blog, além de ler os termos de

serviço, que tratam de questões como a responsabilidade pelo uso do serviço.

Assim sendo, este artigo está organizado em três tópicos. O tópico 1, Blog:

definição e funcionamento, define o que são blogs e descreve como criar, administrar e

como funcionam. O tópico 2, intitulado Blog: algumas possibilidades pedagógicas,

apresenta a utilização de blogs como recurso ou como estratégia pedagógica na

educação. O tópico 3, Blog: planejamento, registro e avaliação, apresenta os resultados

das observações das aulas de informática educativa e análises da utilização do blog

“Informática Educativa” no período de março a novembro de 2007. Blog utilizado como

alternativa para planejamento, registro e divulgação das aulas realizadas no laboratório

de informática com alunos da Educação Infantil e das séries iniciais do Ensino

Fundamental numa escola particular de Vacaria, visto que não era realizado o

planejamento e registro destas aulas anteriormente. Relata de que forma é utilizado o

laboratório de informática com os alunos das séries iniciais do ensino fundamental nesta

escola particular; descreve de que forma ocorre o planejamento das aulas realizadas no

laboratório de informática.
Embasamento Teórico/Corpo

1. Blog: definição e funcionamento
 
Encontram-se várias definições sobre blogs, entre elas, a definição de Inagaki

(2005, p.1) “é um site regularmente atualizado, cujos posts (entradas compostas por

textos, fotos, ilustrações, links) são armazenados em ordem cronologicamente inversa,

com as atualizações mais recentes no topo da página”.

Segundo Mantovani (2005, p.12), “weblog ou simplesmente blog, é um tipo de

publicação on-line que tem origem no hábito de alguns pioneiros de logar (entrar,

conectar ou gravar) à web, fazer anotações, transcrever, comentar os caminhos

percorridos pelos espaços virtuais”.

Para iniciar um blog é necessário escolher um site que ofereça o serviço de

publicação na web. A maioria dos serviços é gratuita e oferece recursos para escrever

como se estivesse usando um editor de textos, não exigem nenhum tipo de

conhecimento técnico especializado sobre as linguagens de programação para construir

páginas na internet. Ao cadastrar-se em um desses serviços, cria-se um endereço para o

blog e um layout. Os próprios serviços oferecem alguns modelos (templates) préconfigurados,

que podem ser alterados posteriormente.

Entre os sistemas de Blog disponíveis em português estão Blig -
http://www.blig.ig.com.br, Blogando.net - http://www.blogando.net, Blogger (br) -

http://www.blogger.com.br, Blog Sapo - http://www.blogs.sapo.pt - (Portugal), Blog-se -

http://www.blog-se.com.br, Blog Terra - http://blog.terra.com.br, Blog Tok -

http://www.blogtok.com, Blog TrixNet - http://www.blog.trix.net, Click 21 My Blog -

http://www.myblog.com.br, NireBlog - http://www.nireblog.com/pt - (Portugal), Pop

Blog - http://www.pop.com.br/popblog, UOL Blog - http://www.blog.uol.com.br,

Windows Live Spaces - http://www.spaces.live.com/?mkt=pt-br.

O blog Informática Educativa http://informaticaeducativacsj.blogspot.com/,

objeto da pesquisa, foi criado no sistema Blogger https://www.blogger.com/start?hl=pt-

BR Figura1. Através do serviço gratuito Blogger, criado em 1999, é possível criar blogs


facilmente em diversos idiomas. Em 2002, o Blogger foi vendido para o Google, desta

forma, para criar um blog neste serviço é necessário ter uma conta no Google.

Após criar o blog pode-se criar e editar o post (que são cada um dos textos

inseridos em um blog). Para editar o post basta dominar as ferramentas de edição de

texto. Os post são apresentados de forma cronológica. É possível editar as postagens

existentes em cada blog e alterar, corrigir, acrescentar informações e excluir

publicações.

O Blogger oferece uma série de templates (formato da página). É possível alterar

o template futuramente ou até criar um inteiramente novo caso o administrador domine

a linguagem HTML. O sistema Blogger possibilita que o usuário crie e administre um

número ilimitado de blogs. Através do Painel, o autor do blog tem acesso à lista de

todos os blogs em que participa tanto como autor quanto como administrador.

Diariamente são criados milhares de blogs nos mais diversos idiomas e com os

mais variados temas, inclusive educacionais. Assim, professores e alunos de todos os

níveis de ensino descobrem na criação de blogs uma outra forma de aprender, de

ensinar, de informar, de conhecer, de compartilhar, de publicar, de comunicar. Como

afirma Lévy (1993, p.7) “novas maneiras de pensar e de conviver estão sendo

elaboradas no mundo das telecomunicações e da informática”.

Nesta perspectiva, define-se blog como muito mais que ambientes onde são

publicadas informações (textos, vídeos, imagens), comentários e indicações de links,

considera-se um ambiente que possibilita debates de idéias independentes da localização

das pessoas, estimulando à comunicação, a democratização de idéias, de informações e

conhecimentos com liberdade de expressão.
2. Blog: algumas possibilidades pedagógicas
 
O blog é um importante instrumento de comunicação, interação e

compartilhamento de idéias, informações e conhecimentos de forma colaborativa, e por

estas características, torna-se uma importante ferramenta que pode ser explorada

potencialmente na área educacional. Acredita-se que, ao considerar o blog como

ambiente virtual de aprendizagem, a aprendizagem neste ambiente não pode ser passiva.

Os alunos não devem ser apenas responsáveis pela sua conexão, mas também devem

contribuir com o processo de aprendizagem, pois aprender é um processo ativo, do qual

Figura 1: Página inicial do sistema Blogger.

tanto professor quanto aluno devem participar.

Segundo Soares e Almeida (2005, p. 3):
Um ambiente de aprendizagem pode ser concebido de forma a romper com as

práticas usuais e tradicionais de ensino-aprendizagem como transmissão e

passividade do aluno e possibilitar a construção de uma cultura informatizada

e um saber cooperativo, onde a interação e a comunicação são fontes da

construção da aprendizagem.
 
Assim sendo, cabe ao professor apropriar-se das novas tecnologias de

informação e comunicação (NTics) refletindo sobre suas possibilidades, propondo

atividades e estratégias diferenciadas ao utilizar os blogs. Os blogs estão sendo

explorados por alunos e professores e a cada dia surgem formas diferentes de utilizá-lo:

podem ser utilizados como um recurso pedagógico ou como uma estratégia pedagógica.

Gomes e Lopes (2007, p. 121) apresentam uma representação esquemática da

exploração dos blogs como recurso ou como estratégia pedagógica Figura 2.

Figura 2: Representação esquemática da exploração dos blogs como recurso ou como

estratégia pedagógica.

O que diferencia o blog utilizado como um recurso pedagógico do blog utilizado

como uma estratégia pedagógica são as atividades e estratégias propostas no ambiente e

o papel assumido pelo professor e pelos alunos.

Ressalta-se que as estratégias e atividades propostas pelos professores,

independente do ambiente (sala de aula, laboratório de informática ou ambiente virtual

de aprendizagem) e ou recursos que utiliza (giz, livro, computador...) vão depender da

Epistemologia, da sua concepção de aprendizagem, conhecimento e aluno, que apóia

sua prática.

A utilização de blogs como recurso ocorre quando é utilizado como um depósito

de informações, onde os alunos assumem um papel receptivo e o professor ativo,

disponibilizando links, materiais de aula e conteúdos selecionados que devem ser

consultados pelos alunos na sua disciplina. Nesta perspectiva o professor assume uma

Blog como

estratégia

Blog como

recurso

Professor ativo

Aluno receptivo

Aluno ativo

Professor receptivo

Depósito de conteúdos selecionados

pelo professor contendo links, sínteses

de conteúdos, propostas de atividades

Depósito de conteúdos e links

selecionados pelo professor,

consultados e comentados pelo aluno

Depósito de conteúdos pesquisados e

selecionados pelo aluno contendo

links, sínteses e reflexões pessoais de

conteúdo pelo aluno, sendo visitado e

comentado pelo professor

posição mais diretiva, onde impõe os conteúdos e fontes de pesquisa e o aluno assume

um papel de mero receptor de informações.

Do mesmo modo, existem blogs utilizados na educação que vão além da

exposição de conteúdos e indicação de links e conteúdos. São os blogs que abrem

espaço para os comentários e exposições de idéias dos alunos. Desta forma, os alunos

podem refletir sobre os conteúdos estudados e links acessados e a partir daí, comentar

no blog sua reflexão, opinião, entendimento, dúvidas e sugestões sobre o assunto tratado

tendo como finalidade possibilitar uma troca de opiniões sobre determinado assunto.

Gomes e Lopes (2007, p. 124) ainda oferecem uma representação esquemática

dos principais tipos de explorações pedagógicas dos blogs, quer numa perspectiva

essencialmente como “recurso”, a disponibilizar aos alunos, quer como “estratégia

pedagógica”, funcionando como suporte e interface tecnológico para diversas atividades

de aprendizagem Figura 3.

Figura 3: Representação esquemática das explorações educacionais dos blogs, centradas

na vertente de “recurso pedagógico” e na vertente de ”estratégia pedagógica”.

Mas o blog pode ir além da exposição de conteúdos, indicação de links e

comentários dos alunos. O professor poderá convidar seus alunos para que participem

junto com ele como autores do blog. Assim, os blogs permitem uma construção coletiva

que valoriza a interação e a linguagem, para o desenvolvimento dos alunos. Conforme

Vygotsky, apud Mantovani (2005, p. 12):
A colaboração entre pares ajuda a desenvolver estratégias e habilidades gerais

de solução de problemas pelo processo cognitivo implícito na interação e na

comunicação. A linguagem é fundamental na estruturação do pensamento,

sendo necessário para comunicar o conhecimento, as idéias do indivíduo e

para entender o pensamento do outro envolvido na discussão ou na

conversação. O trabalho em colaboração com o outro, enfatiza a zona de

desenvolvimento proximal (ZDP) que é “algo coletivo” porque transcende os

limites dos indivíduos. A aprendizagem acontece através do

compartilhamento de diferentes perspectivas, pela necessidade de tornar

explícito seu pensamento e pelo entendimento do pensamento do outro

mediante interação oral ou escrita.
 
Após assumirem a autoria coletiva de um blog, os professores também podem
BLOG COMO

RECURSO

PEDAGÓGICO

BLOG COMO

ESTRATÉGIA

PEDAGÓGICA
 
Blog como

espaço de

intercâmbio e

colaboração

Blog como

espaço de

simulação e/ou

debate

Blog como

espaço de integração e

comunicação

Blog sob a forma de

depósito de informação

pesquisada, sintetizada e

comentada pelo professor

Blog como

porte fólios digitais ou diários de

aprendizagem

Blog de fontes externas às escolas,

de informação temática relevante,

reconhecidos como válido pelos

professores
 
desafiar seus alunos a criarem e administrarem seus blogs, possibilitando que os alunos

explorarem os blogs dos colegas e conheçam um pouco mais de seus interesses. Estes

blogs também podem ser criados a partir das perguntas sobre os assuntos que os alunos

tenham interesse em pesquisar, não direcionando a um conteúdo específico em que

todos pesquisam nas mesmas fontes.

Uma outra proposta de atividade pode ser a criação de um “Blogquest”, que é

uma adaptação, seguindo a mesma estrutura das “Webquest”, criadas em 1995 pelo

norte-americano Bernie Dodge, da Universidade de San Diego (Califórnia), que se

propõe a ser um instrumento para tornar mais efetivas as pesquisas na internet, com

fundamento em aprendizagem cooperativa e processos investigativos na construção do

saber. Assim, os professores realizam o planejamento de algumas aulas referentes ao

assunto escolhido, adicionam links para outros blogs, deixando o blogquest pronto para

ser utilizado com seus alunos, com Introdução, Tarefa, Recurso, Avaliação e Conclusão

Figura 4.

Acredita-se que este é um grande desafio. O desafio de explorar as infinitas

informações disponíveis na web e transformá-las em conhecimento. Para que isso

aconteça, sabe-se que apenas ter acesso à informação não garante conhecimento. É

necessário agir cognitivamente sobre as informações que tenho acesso: Qual foi o meu

entendimento? As informações que estão disponíveis são verdadeiras? Qual é o meu

posicionamento crítico sobre o assunto? De que forma vou comunicar as minhas

conclusões?

A exploração de blogs nesta perspectiva, transforma-o em mais do que um

recurso pedagógico, mas numa estratégia de ensino-aprendizagem em que o papel do

professor é fundamental. Os alunos não agem apenas como meros receptores de

informações e cabe ao professor mediar o processo em que os alunos realizam

atividades de pesquisa, seleção, análise, síntese e publicação de informação. Enfim,

processo em que os alunos utilizam as estruturas mentais existentes para trabalhar as

novas informações e a partir desta reflexão-ação modificar suas estruturas e construírem

seu conhecimento.
Figura 4: Blogquest História. Disponível em http://blogquestinicio-made.blogspot.com/.


Acesso em: 09 jun.2008.
3. Blog: planejamento, registro e avaliação
 
Uma das propostas da pesquisa foi analisar a utilização do blog “Informática

Educativa” Figura 5. As aulas realizadas no laboratório de informática até a criação do

blog não eram planejadas e registradas. As turmas eram conduzidas pelas professoras

até o laboratório; a professora responsável pelo laboratório questionava os alunos sobre

o assunto que estavam trabalhando em sala de aula e em seguida definia sua estratégia

de aula: deixava o acesso livre para algum site que tratasse do assunto que estavam

estudando na sala de aula ou jogos instalados no computador.

Para superar este problema, a professora responsável pelo laboratório de

informática passou a preencher um Plano de Aula (objetivos, estratégias, recursos e

avaliação). Além do registro no plano de aula, a professora responsável pelas aulas

começou a utilizar o blog “Informática Educativa” para planejamento, registro e

divulgação das aulas realizadas no laboratório de informática com alunos da Educação

Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental.

As aulas no laboratório de informática com alunos da Educação Infantil e séries

iniciais Ensino Fundamental eram realizadas quinzenalmente e tinham duração de 40

minutos, sendo que as todas as aulas (atividades e estratégias) eram planejadas pela

professora responsável pelo laboratório. Normalmente, a maioria das professoras

acompanhava seus alunos até a porta do laboratório de informática e voltavam para suas

salas de aula para corrigirem os trabalhos feitos por alunos e seus cadernos. Às vezes,

ficavam numa sala ao lado do laboratório realizando estas atividades. Também

aproveitavam o tempo desta aula para agendar conversas com pais dos alunos. Na

maioria das vezes, ao término da aula no laboratório, as professoras retornavam para

conduzir seus alunos à sala de aula. A professora responsável pelo laboratório

aproveitava este momento para questionar o que estavam estudando na sala de aula,

para adequar suas aulas posteriores às necessidades de cada turma.

Figura 5: Blog “Informática Educativa”. Disponível em
http://informaticaeducativacsj.blogspot.com/. Acesso em: 07 jan.2008.


Uma outra estratégia utilizada pela professora responsável pelas aulas realizadas

no laboratório de informática, para saber os conteúdos que cada turma estava estudando,

era visitar o setor de mecanografia da escola, onde verificava os conteúdos trabalhados

pelas turmas através das folhas xerografadas e mimeografadas. Também questionava os

professores sobre os conteúdos trabalhados nos encontros durante a entrada e o recreio.

Acredita-se que a utilização do blog foi um grande avanço e que alcançou o

objetivo proposto, pois superou o problema da falta de planejamento, registro e

avaliação das aulas realizadas no laboratório de informática. Além disso, promoveu uma

valorização e ressignificação das aulas realizadas no laboratório de informática e do

próprio laboratório, que antes era considerado um local exclusivamente de diversão,

com acesso livre a jogos. A partir da criação do blog, dos planejamentos e divulgação

das aulas realizadas no laboratório de informática, direção, professores, pais e alunos

foram apresentados a uso pedagógico das NTics, percebendo suas potencialidades e

limites.

Desta forma, a pesquisa apresenta todas as atividades desenvolvidas no período

de março a novembro de 2007, mas não pretende avaliar especificamente todas as

atividades desenvolvidas. De uma forma geral, nota-se que todas as atividades

desenvolvidas foram criadas considerando a idade, o nível de desenvolvimento dos

alunos e os conteúdos que estavam sendo trabalhados na sala de aula com as professoras

titulares. A maioria das atividades, apesar de aparentarem que os alunos apenas

respondiam atividades, de uma forma ou de outra, propiciaram aprendizagens. Isto pode

ser percebido, ao analisar as primeiras atividades dos alunos quando digitavam seus

nomes com letras minúsculas e nas últimas atividades já digitavam corretamente, pois

no decorrer das aulas, descobriram as funcionalidades das teclas caps lock e shift, por

exemplo. Todos os arquivos desenvolvidos nas aulas realizadas no laboratório de

informática foram salvos e no final do ano foram gravados num CD. A idéia de registrar

todas as atividades desenvolvidas pelos alunos no laboratório de informática tinha o

propósito de acompanhar o progresso dos alunos.

Considera-se esta uma grande conquista, visto que antes não havia preocupação

em desenvolver atividades considerando a idade, o nível de desenvolvimento dos alunos

e os conteúdos que estavam sendo trabalhados na sala de aula com as professoras

titulares. É evidente que algumas atividades foram mais diretivas, até mesmo pelo

pouco tempo das aulas. A professora já esperava os alunos com todas as atividades

expostas no monitor. No final da aula, a professora tinha cinco minutos para salvar os

arquivos e disponibilizar as atividades para a próxima turma. No final do ano, os alunos

que dominavam a leitura e escrita já salvavam seus arquivos.

Acredita-se que se realizou uma mudança significativa importante para que

posteriormente possam ser desenvolvidas atividades que propiciem a participação mais

ativa dos alunos; ao invés dos alunos encontrarem as palavras nas caça-palavras, os

próprios alunos poderiam criar suas caça-palavras, por exemplo, e também abrir, criar e

salvar seus arquivos.

Constata-se que houve uma boa participação dos alunos e pais nas atividades do

blog que envolveram sua participação, também no mural de recados e bate-papo.

Através de observações das aulas, relatos dos professores e manifestações dos alunos no

mural de recados do blog constatam-se a alegria e entusiasmo das turmas em participar

das aulas no laboratório de informática.

Uma dificuldade observada foi a não participação das professoras titulares

durante as aulas realizadas no laboratório de informática. Uma alternativa para superar

este problema é promover a capacitação dos professores para a utilização deste

ambiente e documentar um projeto que fundamente o trabalho pedagógico, que venha a

ser desenvolvido na escola, com apoio das NTics. Através deste documento, equipes

pedagógicas, equipes administrativas e alunos, encontrariam orientações que

regulamentariam o trabalho a ser operacionalizado no laboratório de informática da

escola.

A professora responsável pelas aulas realizadas no laboratório de informática até

apresentou a direção um projeto para a utilização do laboratório de informática e um

programa de capacitação dos professores em informática educativa. O programa de

capacitação dos professores seria desenvolvido em dois sábados por mês no período de

março a dezembro de 2008, das 8h às 11h. O programa de capacitação também previa a

observação e participação dos professores nas aulas realizadas no laboratório de

informática.

No programa do curso de capacitação estavam previstas além de oficinas

pedagógicas sobre editores de texto, planilhas eletrônicas, slides de apresentação, blog,

internet, análise de software educativo e orientação e desenvolvimento de projetos de

informática educativa também a reflexão sobre a importância do acesso às NTics no

processo educacional e estudo das posições de diversos pesquisadores em informática

educativa, para fundamentar o processo ensino-aprendizagem, tendo o computador

como um dos mediadores do ambiente de aprendizagem.

Infelizmente, tanto a proposta do projeto que fundamentava o trabalho

pedagógico com apoio das NTics, quanto o programa de capacitação dos professores

ficou apenas no papel. A maioria dos professores por atuarem em outras escolas,

considerou impossível a conciliação dos trabalhos com o curso de capacitação e assim a

direção decidiu não promover o curso, ao verificar que não haveria participação da

maioria das professoras.
Conclusões e Propostas
 
Através da pesquisa foi possível identificar e caracterizar algumas práticas

existentes nos blogs servindo como referencial teórico e estímulo para posteriores

estudos e investigações sobre a utilização dos blogs na educação.

Contata-se e ressalta-se que a utilização dos blogs na educação, as estratégias e

atividades propostas pelos professores através dos blogs, vai depender principalmente

da Epistemologia do professor, da sua concepção de aprendizagem, conhecimento e

aluno, que apóia sua prática.

Destaca-se que entre as várias possibilidades da utilização dos blogs na educação

estão:

- Blog de fontes externas às escolas, de informação temática relevante,

reconhecidos como válido pelos professores;

- Blog sob a forma de depósito de informação pesquisada, sintetizada e

comentada pelo professor;

- Blog como portefólios digitais ou diários de aprendizagem;

- Blog como espaço de intercâmbio e colaboração;

- Blog como espaço de simulação e/ou debate;

- Blog como espaço de integração e comunicação.

Aponta-se apenas algumas das utilizações dos blogs na educação, pois os blogs

continuam sendo explorados e a cada dia surgem novas formas de explorar seus

recursos e potencialidades. Neste aspecto, destaca-se que cabe ao professor apropriar-se

das NTics refletindo sobre suas possibilidades, propondo atividades e estratégias

diferenciadas ao utilizar os blogs. Ainda, a importância da criatividade,

comprometimento e formação do professor para utilizar e explorar os recursos

disponíveis e suas potencialidades, valorizando o papel ativo dos alunos no processo de

aprendizagem.

Para finalizar, reafirma-se a necessidade de ampliar o espaço para discussão

desta temática, entre os trabalhos que podem seguir em decorrência do estudo aqui

realizado estão:

- Realizar um novo experimento, no qual se pudesse investigar a aprendizagem

dos alunos utilizando s blog como ambiente de aprendizagem. Isso poderia ser feito

comparando-se resultados da turma experimental com outra que não participasse do

experimento;

- Investigar novas utilizações dos blogs como recurso e como estratégia

pedagógica, que pudessem ser aplicadas e testadas investigando a eficácia do ambiente

na motivação e aprendizagem dos alunos.
Referências
 
GOMES, Maria João. Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica. Disponível em

https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4499/1/Blogs-final.pdf. Acesso em:


25 nov. 2007.
GOMES, Maria João; LOPES, António Marcelino. Blogues escolares: quando, como e


porquê? Disponível em
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6487/1/gomes2007.pdf. Acesso


em: 25 nov. 2007.
INAGAKI, Alexandre. Blogo, logo existo. Disponível em

http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1644. Acesso em: 19


maio 2008.
LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da


informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.
MANTOVANI, Ana Margô. Weblogs na Educação: Construindo Novos Espaços de


Autoria na Prática Pedagógica. Disponível em
http://www.tise.cl/archivos/tise2005/02.pdf. Acesso em: 15 dez. 2007.

SOARES, Eliana Maria do Sacramento; ALMEIDA, Cláudia Zamboni. Interface

gráfica e mediação pedagógica em ambientes virtuais: algumas considerações.


Disponível em
http://ccet.ucs.br/pos/especializa/ceie/ambiente/disciplinas/pge0946/material/biblioteca/
 
sacramento_zamboni_conahpa_2005.pdf. Acesso em: 14 dez. 2007.

Retirado de: http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/revista/a1n1/art10.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário